quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Poema de amor tardio


E então, quando teus dois olhos ( felinos ) cumprirem o círculo,
[que para mim é imortal,
Esse círculo misterioso que esconde toda a tua beleza,
Que encerra em dois pontos, dois traços, mil anos da minha
[perdição,
Então assim estarei completo, admirando tua intangível
[plenitude.
E como uma criança, sorrirei ao encarar teus olhos tão felinos,
E como um adolescente te desejarei ( já te desejo ),
Minha intangível garota complexa.
- Se tão intangível és, como explicas ter atingido meu coração?

* Esse poema foi escrito em 30/10/05 durante uma viagem de ônibus (Bauru-Araraquara) e eu acho satisfatório. Desculpe-me por publicar isso sem te consultar Belinha!!

2 comentários:

Elana Bellini disse...

Menino, você atualizou, que bom!
Agora tou feliz ^^

esse poema é simplesmente muito belo, belíssimo.

bjo!

3 Vozes disse...

É. Gostei também. Quando li a primeira vez não parecia assim.