sexta-feira, agosto 17, 2007

Poemas minuto

Do Tempo do Onça

Falar do tempo do onça é do tempo do onça.

Coração paciente

Sorri teus lábios, e me espera, não tardo,
Venho logo e trago meu coração pro jantar.

Uma única face

Quando nasci não veio anjo nenhum,
O médico deu um tapa na minha bunda,
E eu chorei,
Estava aí o prenuncio da vida toda.


Dor

A dor punge
Sob o peso
Da impossível felicidade

*Estes são quatro poeminhas que eu li com um amigo meu (Thiago) em um sarau na FCL-Unesp Araraquara ano passado, o número, se é que posso chamar assim, chamava-se 30 poemas minuto em 5 minutos e tinha poemas do Thiago também, além de alguns poemas de autores conhecidos e tal...

Um comentário:

Thiago Augusto Corrêa disse...

Devia ter postado todos para dar uma amostra do que foi nossa genialidade no palco.