quarta-feira, setembro 26, 2007

Amor, instante final

Contudo te ter sem nada é te ter
Sem te ter contudo.
Sem razão, sem culpa,
Sofrendo minha culpa sem razão.

Ninar teu sono, sem razão nenhuma,
Somente ninar.
Sem te ter,te ter,
Traído, desejo um desejo ou cem.

Angústia dos desejos mal vividos,
Verdadeira angústia.
Tola hemorragia,
Que me deixa tinta esta face tola.

Morrer sofrendo a dor de desejar,
Sem te ter, morrer.
Instante final,
Deste amor (mal) vivido em um instante.

* Publiquei este poema na segunda revista Centelha o ano passado e já tinha postado ele em um blog antigo(e natimorto, infelizmente). Foi o primeiro poema metrificado que fiz que deu certo, por isso é especial para mim.


Um comentário:

Elana Bellini disse...

:D admiro quem metrifica, Thu..
eu me mantenho longe da métrica!
:*** querido! e continue escrevendo