quinta-feira, janeiro 08, 2009

Melhores e Piores filmes de 2008

Continuando a minha fixação por listas, agora a dos 10 melhores filmes de 2008, dentre os que eu vi, que fique bem claro... entram na lista somente filmes que estrearam nos cinemas no Brasil em 2008. Logo após essa uma dos 5 piores filmes de 2008 (não conseguiria comentar 10 deles...), o critério é o mesmo, ter estreado nos cinemas brasucas em 2008.

Os 10 Melhores Filmes de 2008

10ª Posição – Mamma Mia
Dirigido por Phyllida Lloyd

Essa comédia musical alucinada, sem história, vergonhosa, que aproveita cada sucesso possível do ABBA (e são muitos) para incluir um número musical exagerado, cheio de purpurina e sem sentido na trama é na verdade a melhor comédia do ano. Divertidíssimo, não se leva a sério em momento algum e as vezes pegamos alguns atores, como Pierce Brosnan por exemplo, rindo em suas cenas musicais. Além de tudo (mais) uma fenomenal atuação de Meryl Streep, que com toda certeza será indicada ao Oscar de melhor atriz.
Cotação:

9ª Posição – A Encarnação do Demônio
Dirigido por José Mojica Marins

Depois de mais de 40 anos de molho, finalmente Mojica termina a sua trilogia com Zé do Caixão. Infelizmente esse filme não é fenomenal como os dois primeiros, e A Meia Noite Levarei Sua AlmaEsta Noite Encarnarei No Seu Cadáver, mas termina de maneira digna a trilogia. Fora as comparações com as obras primas anteriores de Mojica, o filme é ótimo, mil vezes melhor que qualquer terror desses que são lançados a toda hora como o filme mais assustador do ano. E pra concluir: Jigsaw e afins são moças perto do Zé do Caixão.
Cotação:

8ª Posição – Ensaio Sobre a Cegueira
Dirigido por Fernando Meirelles


Esse é o filme nacional melhor posicionado na lista, mas confesso que não vi muitos filmes nacionais esse ano... Apesar de várias críticas que a película recebeu, achei que Meirelles transpôs com rara competência o livro de Saramago, utilizando-se de uma inteligentíssima sacada, a luz branca que estoura a tela o tempo todo e que transmite ao expectador a sensação de cegueira das personagens. O ótimo elenco ajuda muito também.
Cotação:

7ª Posição – Homem de Ferro
Dirigido por Jon Favreau


Essa é com certeza uma das melhores adaptações de quadrinhos já feitas e a direção segura de Jon Favreau contribuiu muito para isso, mas as verdadeiras estrelas são o roteiro, que teve coragem de focar em Tony Stark e não em seu alter-ego, o Homem de Ferro, e Robert Downey Junior, espetacular no papel de Tony Stark. O ponto fraco é a batalha final que deixa a desejar.
Cotação:

6ª Posição – Os Indomáveis
Dirigido por
James Mangold


De tempos em tempos alguns ótimos Westerns são lançados no cinema, o que serve ao menos para alentar o coração dos fãs de carteirinha desse glorioso gênero (como eu). Esse Os Indomáveis é um belo exemplar, tenso e focado na personalidade das personagens principais, como tendem a ser os melhores westerns. As atuações de Russell Crowe e principalmente de Christian Bale elevam ainda mais o nível desse filme maravilhoso.
Cotação:

5ª Posição – Desejo e Reparação
Dirigido por
Joe Wright
Esse ano li a obra prima de Ian McEwan, Reparação, que deu origem a esse filme, por isso me sinto competente para analisar esse filme. As comparações com o livro, que considero o melhor romance da década, são inevitáveis, mas me alegro em dizer que o diretor Joe Wright, o mesmo do ótimo Orgulho e Preconceito, conseguiu fazer um filme maravilhoso, dirigido com vigor (vide a cena feita sem cortes na praia, no segundo segmento do filme), consegue passar muito bem as sensações do livro para o espectador do cinema. O elenco é todo ótimo, mas o destaque fica para Saoirse Ronan a menina que faz Briony na infância, que venceu com competência o desafio de encarnar uma das personagens mais complexas da literatura contemporânea. O único ponto negativo é o péssimo título brasileiro, o filme chama-se Atonement, ou seja, Reparação, assim como o livro, esse desejo passa uma idéia errada do significado do filme, que é daqueles que destroem as emoções do espectador, vale dizer que eu não saia tão mal assim do cinema desde Sobre Meninos e Lobos.
Cotação:

4ª Posição – Senhores do Crime
Dirigido por
David Cronenberg
A parceria de Cronenberg e Viggo Mortensen vem se mostrando cada vez mais compensadora. Depois do fenomenal Marcas da Violência, eles nos entregam essa obra prima, que versa com delicadeza sobre a brutalidade da Máfia Russa. Um filme de encher os olhos e a atuação de Mortensen é tão brilhante que fiquei me perguntando, depois de assistir ao filme, como umaator desse nível demorou tanto para mostrar todo o seu talento.
Cotação:

3ª Posição – Wall-E
Dirigido por Andrew Stanton
Não é nada impressionante a presença da Pixar na lista de melhores do ano, e o fato de não estar em primeiro lugar mostra a qualidade dos filmes lançados em 2008. Wall-E é uma obra-prima, absolutamente brilhante, um misto de Chaplin com 2001, que deu muito, muito certo, e até a parte final, com a mensagem ecológica, que recebeu algumas críticas, é ótima e muito bem realizada. Na minha opinião o segundo melhor filme que a Pixar já lançou, perdendo apenas pra Ratatouille (que afinal é um misto de Fellini e Nouvelle Vague difícil de se superar).
Cotação:

2ª Posição – Onde os Fracos Não Tem Vez
Dirigido por Joel e Ethan Coen

Quando vi esse filme a primeira vez, no cinema, fiquei tão impressionado quando a projeção acabou que tive que ir ver outra vez para constatar se tinha entendido mesmo o que achava que tinha entendido. Na segunda vez que vi fiquei ainda mais pasmo, pois o filme imediatamente se configurou como uma daquelas obras-primas que dificilmente saem da cabeça. Tudo é brilhante, neste que é o melhor filme do irmãos Coen desde Fargo. As atuações estão espetaculares, principalmente o trio principal, Josh Brolin que faz Llewelyn Moss, Javier Barden, o Anton Chigurh, um dos psicopatas mais impressionantes que já vi no cinema e Tommy Lee Jones, o xerife, brilhante de tal maneira que cabe a ele o maravilhoso final do filme. O único ponto fraco é o título brasileiro, Onde os Fracos Não Tem Vez, que simplesmente tira o significado básico do filme, de um novo mundo, onde o novo substitui o velho, Onde os Velhos Não Tem Vez caberia bem melhor.
Cotação:

1ª Posição – Batman – O Cavaleiro das Trevas
Dirigido por Christopher Nolan
E finalmente o filme do ano. Confesso que esperava muito ansiosamente esse Batman, mas mesmo a fenomenal expectativa, aliada à impressionante campanha de marketing poderia me preparar para ver o que vi. O melhor filme baseado em quadrinhos já feito, pelo simples fato de não se limitar a ser apenas um filme baseado em quadrinhos. É na verdade o melhor Thriller policial desde a obra-prima Los Angeles: Cidade Proibida. A direção impecável de Nolan, transformam o também impecável roteiro em uma das mais impressionantes experiências cinematográficas de todos os tempos. O elenco é brilhante, passando por Michael Caine, Morgan Freeman, Gary Oldman e culminando no trio de protagonistas, Christian Bale, muito mais seguro no papel do que em Batman Begins, Aaron Eckheart, brilhante como Harvey Dent e, claro, Heath Ledger, que apresenta, sem nenhum exagero, a melhor atuação da década no cinema. Não é que o Coringa feito por ele é o melhor já feito no cinema, é que o Coringa de Ledger é o melhor Coringa em qualquer mídia, incluindo os quadrinhos. O filme do ano, talvez seja o filme da década.
Cotação:

Agora pra fechar com chave de ouro, a lista do dinheiro mais mal gasto esse ano, só a rapa do tacho:

Os 5 Piores Filmes de 2008

5ª Posição – Missão BabilôniaDirigido (?) por Mathieu Kassovitz
O que esperar de um filme com Vin Diesel. Que seja ruim, é claro, mas esse conexão Babilônia é de lascar. O filme não tem nexo, a ação é mal feita, a história é ultra-confusa, as atuações são um lixo e pra piorar o filme é uma propaganda ambulante de Coca-Cola Zero. Porra, Coca-Cola Zero!?! Se é pra fazer merchandising que pelo menos seja da Coca-Cola normal...
Cotação:

4ª Posição – Hancock
Dirigido (?) por Peter Berg

O que mais me irrita em Hancock é que o filme poderia ser bom, caso se limitasse a focar a figura de Hancock, um super-herói bêbado e desajustado. À partir da segunda parte, quando ele se regenera e a terceira parte, quando o roteiro enlouquece de vez, o filme fica tão ruim que eu não via a hora de sair do cinema. Péssimo.
Cotação:

3ª Posição – O Procurado
Dirigido (?) por Timur Bekmambetov

Se esse ano tivemos ótimas adaptações de quadrinhos (Batman - O Cavaleiro das Trevas e Homem de Ferro), também tivemos essa porcaria. Baseado em uma HQ do competente Mark Millar, que confesso que não li, o filme é uma péssima desculpa para horrorosas cenas de perseguição de carro (Assistam Operação França pelo amor de Deus!) e cenas de tiroteio ainda piores. E a história? Ahn? Tinha isso?
Cotação:

2ª Posição – Speed Racer
Dirigido (?) por Irmãos Wachowski

Os irmão Wachowski perderam a mão feio e não é de hoje. Claro que esse Speed Racer não é tão ruim quanto Matrix Revolution, mas mesmo assim é uma ofensa tanto aos fãs de cinema, quanto aos fãs do maravilhoso desenho animado que inspirou essa joça, entre os quais me incluo. E quando eu pensei que pelo menos esse horror serviria pra lançarem um box do anime, eis que lançam o box com os episódios re-dublados... e ninguém vai preso! Realmente um péssimo ano para os fãs de Speed Racer.
Cotação:

1ª Posição – Fim dos Tempos
Dirigido (?) por
M. Night Shyamalan

Em um ano normal a abominação do Speed Racer seria o pior filme do ano, mas esse não foi um ano normal, afinal um negro foi eleito presidente dos Estados Unidos , o time invencível de Bernardinho foi atropelado nas Olimpíadas, o Brasil foi pouco afetado por uma crise econômica mundial, A Dercy morreu... Se Batman – O Cavaleiro das Trevas talvez seja o filme da década, esse Fim dos Tempos do Shyamalan é sem dúvida o pior filme da década, o diretor (?) comete todos os erros, desde péssima escolha de elenco, até o pior uso de camera lenta da história do cinema. Eu gosto muito de O Sexto Sentido e de Sinais, considero Corpo Fechado uma obra-prima, e acho A Vila passável, A Dama da Água é constrangedor de ruim, mas Fim dos Tempos passa todos os limites, é uma ofensa com qualquer ser pensante, é um lixo absoluto, é tão completamente ruim que não tenho cotação para dar pra ele, por isso inventei uma nova cotação, especialmente para porcarias ruins que nem Fim dos Tempos.
Cotação:

2 comentários:

Israel/rael TIO GOIABINHA disse...

Até que o Hanckock não foi tão ruim. Foi mediano, apesar de, como vossa senhoria disse, a partir da metade as coisas ficam um tanto... Confusas?

Batman e Homem-de-ferro (HDF é o meu herói favorito /o/) foram os dois únicos filmes que tive o privilégio de ver no cinema (Moro numa cidade rural, tenho que ir até a capital Florianópolis para ir ao cinema) e não me arrependo de ter-lo feito.


XD

Arthur Malaspina disse...

Normal cara... por muito tempo eu morei numa cidade pequena que só tinha uma sala de cinema e ainda passava os filmes com meses de atraso...