quarta-feira, julho 17, 2013

Som e fúria






"A vida (...)
é um conto contado por um idiota,
cheio de som e fúria, significando nada."

Shakespeare, Macbeth, ato V, cena v


Som e fúria dão o tom
Da cor da minha alma
Ao te ver assim tão despreocupada
Com os meus rumos e os seus.

Uma história de tolos,
Fútil, frágil, fugaz, finita.
Um conto contado por crianças
Tão sutil quanto grosseiro.

Nossas espadas se chocaram,
Metal contra metal,
Numa sinfonia sincopada e brutal,
Terminando cada qual no ventre adversário.

Ah, som e fúria, som e fúria!
Destruindo sonhos e erguendo o vendaval.


________________________________________________

Essa semana um poema inédito, escrevi há alguns meses mas tinha algumas dúvidas quanto ao seu verso final, acertei ele para a postagem. Como podem ver usei como epígrafe um famoso trecho de Macbeth de William Shakespeare. O trecho em questão no original é: 

"Life’s but a walking shadow, a poor player
That struts and frets his hour upon the stage,
And then is heard no more. It is a tale
Told by an idiot, full of sound and fury,
Signifying nothing."

omiti uma boa parte da fala por não ser necessária para o poema. A tradução é minha mesmo e já a havia publicado aqui no blog junto com uma versão do Leandro para o mesmo trecho. Podem conferir aqui. Espero que gostem do poema.


Nenhum comentário: