quinta-feira, outubro 24, 2013

Rosa sangrando




Não sei quanto tempo durou, mas vi a minha morte em câmera lenta, talvez por influências dos filmes. Mas o mais engraçado foi que, para não me abalar, pois morrer já é um grande choque, vi a cena em forma de desenho: ele me atacou com uma espada de samurai e ao retirá-la lentamente senti meu corpo cair para o outro lado. A dor foi lacerante no começo, mas depois ela foi embora, assim como minha vida. Agora tento entender melhor a cena, e nem sei dizer se eu realmente morri com essa espada de samurai ou se foi minha cabeça que inventou para amenizar a dor da minha morte. Ainda lembro do meu corpo cartunizado deitado no chão: acho que o desenhista poupou os seus lápis coloridos, pois meu corpo era apenas branco, preto e cinza. O único sinal de vida era a poça de sangue saindo do que antes era eu. “Mais uma rosa sangrando’’ - ouvi essa frase em algum momento da minha transição e é assim que eu prefiro imaginar meu fim.

_________________________________________

Um dia a Daniela chegou para mim e disse: "sonhei com a minha morte"! E depois ela escreveu um texto sobre o sonho. É este que veem agora. Aproveitem. Ahh, a montagem amadora é uma tentativa minha de transpor o sonho, a ideia foi da Daniela também, mas a falta de talento é toda minha.

Nenhum comentário: