terça-feira, abril 15, 2014

Parley






Em cena Tom Quase Sem Dentes, Barba Ruiva e Coro de Piratas.

[Tom Quase Sem Dentes E Barba Ruiva lutam agressivamente enquanto são observados pelo Coro de Piratas]

Tom [fazendo um floreio com a espada]:
Que nome é este, Barba Ruiva?
Cadê a criatividade?
Eu mesmo já duelei
com vários de seus parentes!
Barba Negra, Barba Azul
hoje basta ser barbado
que o nome lhe é dado!

Barba Ruiva [cofiando a barba com a mão esquerda]:
Mas a minha barba não é mesmo ruiva?
E alguém chamado Tom Quase Sem Dentes
pode falar dos outros impunemente?

Tom [com o semblante risonho]:
Não podes dizer que falte
a este nome que me
deram, criatividade.

Barba Ruiva [também risonho]:
Mas que raios de criatividade?
Se os teus dentes estão pela metade?

Tom [fechando a cara]:
Parece que nos gracejos
se destaca, mas será
que tem tanta habilidade
no manejo da espada?

Barba Ruiva [com um sorriso irônico]:
Minhas habilidades com a espada,
sem nenhuma modéstia, são lendárias.
.Se quiseres provar do meu talento,
venha sem exitar, neste momento!

Tom: Pois não, se é o que queres!

[Começam uma briga bem disputada]

Coro de Piratas:
Qual será o resultado
dessa batalha cruel,
que afinal decidirá
quem irá nos liderar?

Corifeu [dando um passo à frente]:
 É impossível dizer,
só nos resta esperar.

[Apagam-se as luzes, fecham-se as cortinas e só se ouve o som de espadas]




_____________________________________

Aproveitando que estamos perto da Páscoa e sem criatividade para textos novos eu recuperei um texto antigo meu que ganhou uma interpretação falada do Luís Gustavo Guadalupe Silveira (no vídeo no começo da postagem). É uma das minhas experiências com a produção de pequenos diálogos dramáticos (que é o gênero que mais gosto de escrever). Espero que gostem!

Nenhum comentário: