sexta-feira, junho 27, 2014

Seleção da 1ª fase da Copa do Mundo de 2014




Continuando nossa epopeia pela Copa do Mundo aqui no Brasil, e aproveitando que não tivemos jogos hoje e que amanhã começam as 8ªs de final, eu e um convidado muito especial, o querido Zé Percego, fizemos nossas escolhas para a seleção da 1ª fase da competição.

Como assim não estou na lista? Nhoc!

Comecemos com os selecionados do Zé.


goleiro: Guillermo Ochoa (México)
menção honrosa: Keylor Navas (Costa Rica)

Tanto Ochoa quanto Navas foram muito bem em todos os jogos da primeira fase, demonstrando segurança e aparecendo quando suas equipes precisaram. O desempate a favor do mexicano foi a atuação monstruosa que teve contra o Brasil.

lateral-direito: Fabian Johnson (Estados Unidos)
menção honrosa: Vasilis Torosidis (Grécia)

Numa posição de certa forma carente, Johnson foi quem melhor manteve o nível das atuações nos três jogos. Contra Gana oscilou um pouco na defesa, mas foi bem no apoio. Na segunda rodada, contra Portugal, foi o melhor em campo. E contra a Alemanha voltou a fazer bom jogo, sendo até mais seguro na defesa. O grego Torosidis, por sua vez, teve uma bela atuação no jogo da classificação grega contra a Costa do Marfim, e foi consistente nos dois primeiros.

zagueiro: Matts Hummels (Alemanha)
menção honrosa: Thiago Silva (Brasil)

O ótimo zagueiro do Borussia Dortmund foi muito bem, com atuações seguras nas três rodadas. Desarmou muito e ainda apareceu no ataque para deixar o seu na goleada da Alemanha sobre Portugal - a mais destacada de suas atuações. Já o brasileiro foi o melhor jogador da seleção na segunda rodada, contra o México, e voltou a ter atuação segura na terceira. Mas, talvez por nervosismo, oscilou um pouco diante da Croácia na estreia.

zagueiro: David Luiz (Brasil)
menção honrosa: José María Giménez (Uruguai)

Thiago Silva, em teoria, é mais zagueiro... Mas David Luiz vem se destacando mais porque, além de também ser muito bom tecnicamente, tem jogado com raça e disposição de sobra. Foi seguro e firme em todos os jogos, apesar de vez ou outra pecar no posicionamento (como no gol de Camarões). Nesse mesmo jogo, no entanto, compensou o erro defensivo com uma assistência para Fred. Já o jovem uruguaio entrou numa fogueira com a lesão do capitão Lugano, mas foi muito bem em dois jogos difíceis contra Inglaterra e Itália. Godín até se destacou mais no jogo da classificação charrúa, muito pelo gol heroico, mas Giménez foi irrepreensível defensivamente nas duas partidas em que atuou.

lateral-esquerdo: Daley Blind (Holanda)
menção honrosa: Ricardo Rodríguez (Suíça)

Blind é daqueles jogadores que vão mudar de patamar depois da Copa, não deve demorar para aparecer em algum gigante do futebol europeu. Apoia com qualidade, tem bom passe e ainda é muito seguro defensivamente, podendo jogar até como zagueiro. Destacou-se demais na primeira rodada com uma atuação impecável diante da Espanha, mas também foi bem nas duas seguintes. Contra o Chile, foi o principal responsável pela marcação do ótimo Alexis Sánchez e deu conta do recado. Já sobre Ricardo Rodríguez dá para dizer quase as mesmas coisas: outro bom lateral que consegue ser competente na defesa e no apoio. Só perde a vaga para Blind por ter feito parte de uma defesa que foi massacrada pela França na segunda rodada - embora tenha sido o jogador que menos comprometeu na retaguarda suíça.

meio-campista: Charles Aránguiz (Chile)
menção honrosa: Javier Mascherano (Argentina)

Arturo Vidal é o grande nome da meiúca chilena, mas em campo quem vem se destacando mais é Aránguiz. O volante do Internacional se movimenta muito, ajuda na proteção e ainda chega à frente com qualidade. Foi muito bem nos dois primeiros jogos, sendo premiado com um gol diante da Espanha, e mesmo na derrota diante da Holanda foi dos que mais buscaram o jogo. Já Mascherano não apareceu em nenhuma das seleções que fiz a cada rodada, porque sempre teve alguém que se destacou mais, mas vem fazendo uma bela Copa. O 'Jefecito' fez ótima partida contra a Bósnia, protegendo a defesa com a qualidade costumeira e ainda contribuindo bem para a saída de bola. Contra o Irã caiu um pouco, como toda a equipe, mas ainda assim foi consistente. E voltou a jogar bem diante da Nigéria. Merece a menção honrosa.

meio-campista: Matthieu Valbuena (França)
menção honrosa: Yacine Brahimi (Argélia)

O baixinho Valbuena é incansável no meio-campo francês. Sua movimentação é fundamental para criação de jogadas dos Bleus, abrindo espaços e projetando-se à frente. Foi muito bem na estreia contra Honduras e um dos melhores em campo (talvez só atrás de Benzema) na goleada contra a Suíça. Mesmo poupado na última rodada, não perde seu lugar nessa seleção. Já Brahimi é uma das surpresas da Argélia. Ele foi um dos que entraram no time na segunda rodada, quando o técnico resolveu mudar metade da escalação para revolucionar o jogo da equipe, e acabou sendo um de seus maiores acertos. Brahimi é quem dita o jogo das Raposas do deserto, fazendo ótima parceria com Feghouli. Foi muito bem na vitória sobre a Coreia do Sul - quando só foi ofuscado pelo colega Slimani, o melhor em campo no ataque, mas ainda assim também deixou seu gol - e voltou a fazer excelente partida no jogo da classificação diante da Rússia.

meio-campista: James Rodríguez (Colômbia)
menção honrosa: Juan Cuadrado (Colômbia)

A Colômbia é uma das melhores seleções da Copa, e muito disso se deve a essa dupla. James e Cuadrado têm sido impecáveis, criando alternativas, fazendo o jogo acontecer, dá até pena imaginar o estrago que Falcao García faria sendo municiado por eles... Entre os dois, no entanto, o meia do Monaco se destaca mais por ser mais decisivo, fazendo gols e chegando mais à frente, como um típico camisa 10 das antigas. É um dos melhores jogadores da Copa até aqui.

atacante: Arjen Robben (Holanda)
menção honrosa: Lionel Messi (Argentina)

Não há muito o que dizer sobre o desempenho de Robben nessa Copa... Um perigo constante para todas as defesas que enfrentaram a Holanda, seja puxando contra-ataques letais ou ajudando na criação de jogadas pelas pontas. Foi bem demais nos três jogos, com destaque para o massacre diante da Espanha. Outro que briga pelo título de melhor jogador da primeira fase. Já Messi fez sua melhor partida apenas no terceiro jogo, mas foi decisivo para todas as vitórias da Argentina até aqui e é um dos artilheiros da competição.

atacante: Karim Benzema (França)
menção honrosa: Robin van Persie (Holanda)

Dos oito gols da França na primeira fase, sete (sete!) tiveram participação direta ou indireta de Benzema. O atacante do Real Madrid é o melhor jogador de um dos melhores times da Copa até aqui. Decisivo seja na hora de definir ou movimentando-se para servir os companheiros, fez duas partidaças nas duas primeiras rodadas e, mesmo mais discreto, ainda buscou muito o jogo na terceira. Já van Persie fez um jogo memorável na estreia, onde guardou o gol mais bonito da primeira fase da Copa, e voltou a ser importante diante da Austrália. Cumpriu suspensão na última rodada, mas ainda assim merece a lembrança.

atacante: Thomas Müller (Alemanha)
menção honrosa: Neymar (Brasil)

Thomas Müller é um jogador que todo torcedor gostaria de ter no time: técnico, raçudo, veloz e um artilheiro nato. Principal jogador da goleada sobre Portugal, oscilou um pouco diante de Gana mas foi novamente decisivo na última rodada. E Neymar é o cara de quem o Brasil depende pra tentar ser campeão em casa. O jogo ofensivo da seleção passa obrigatoriamente por ele. Foi voluntarioso na estreia, embora a ajuda do juiz tenha sido decisiva para a vitória de sua equipe, caiu um pouco na segunda rodada e fez sua melhor partida na terceira.


técnico: Vahid Halilhodzic (Argélia)

Montou uma equipe que fez bom jogo diante da Bélgica na estreia, vendendo caro a derrota. E depois conseguiu reconstruir o time, mudando meia escalação e fazendo as Raposas do deserto jogarem ainda melhor. Foi premiado com a classificação inédita e merecidíssima dos argelinos para as oitavas-de-final.


Agora a minha lista.

no 4-3-3

Goleiro: Ochoa (México)

Destaque absoluto no empate com o Brasil na segunda rodada, Ochoa vem fazendo uma senhora Copa. Uma muralha em uma defesa que vem jogando surpreendentemente bem (Rafa Marquez é outro destaque). Temos alguns excelentes goleiros nesta Copa e poucas falhas gritantes, o que aumenta ainda mais o mérito do goleiro mexicano.

Menção Desonrosa: Casillas (Espanha)

Provavelmente o melhor goleiro em 2010, decididamente o pior em 2014. Que fase da fúria! Só ele cometeu mais da metade dos erros ridículos de goleiros nesta primeira fase!

Lateral Direito: Johnson (EUA)

Como o Zé disse acima, uma posição frágil no futebol mundial, Johnson faz uma Copa muito firme, com atuações seguras nas três partidas e bastante destaque contra Portugal. Fica com a vaga (saudades do Lahm como lateral...)

Menção Desonrosa: Daniel Alves (Brasil)

Popularmente conhecido como "Avenida Alves", faz uma Copa patética. Nunca foi grande defensor, mas antigamente compensava com muita qualidade no ataque. PASSADO. Agora sobe que nem um imbecil para o ataque, deixando um latifúndio improdutivo atrás dele (e quero ser mico de circo se o Chile não fizer pelo menos um gol jogando por ali) e não faz nada. Não consegue passar a bola, não consegue dar um cruzamento certo... não chuta a gol... 

Zagueiros: Duarte (Costa Rica)  e Godin (Uruguai)

Duarte é o melhor zagueiro de uma impressionante Costa Rica. A história da Copa até aqui, uma seleção sem tradição, teoricamente sem grandes qualidades, que passeou sobre 3 campeões do mundo. Muito desse mérito cai sobre os ombros desse excelente zagueiro (e me dói a alma deixar o ótimo atacante Campbell de fora da lista).

Escolhi Godin ao invés de Giménez aqui, por conta do gol da classificação contra a Itália. Acho que ambos vem fazendo grande Copa e mereciam a escolha, ser decisivo no ataque fez a balança pender para o lado do Godin.

Menção Desonrosa

Lateral Esquerdo: Blind (Holanda)

Muito importante no mortal contra ataque da melhor seleção da Copa até agora. Ah, e volta pra marcar, não deixa grandes espaços nas costas... é o extremo oposto dos laterais brasileiros nesta Copa...

Menção Desonrosa: Marcelo (Brasil)

Gol contra: confere. Parece um bonecão de Olinda no ataque: confere. Deixa um loteamento do Minha Casa, Minha Vida nas costas: confere. NÃO ACERTA UM MALDITO CRUZAMENTO QUE SEJA, NEM PRA SALVAR A VIDA DA MÃE: confere. Sem mais meritíssimo!


Meio Campo: Aránguiz (Chile), Matuidi (França) e James Rodriguez (Colômbia)

Faz o papel do volante moderno com perfeição. Chega a frente, começando as jogadas, com muita qualidade e preenche direitinho os espaços defensivos. Um dos grandes responsáveis por esse timaço que o Chile trouxe ao Brasil. Quem não se lembra do promissor bumba-meu-boi dos chilenos em 2010. Era um excelente time ofensivo, patético defensivamente. Esse Chile de hoje é muito mais sólido e Aránguiz é um dos responsáveis!

Talvez o mais constante dos jogadores deste excelente e ofensivo time francês, Matuidi chega muito forte na frente e é incansável. Valbuena poderia estar aqui também, mas tive que escolher um dos dois, que são (junto com Benzema) os melhores jogadores da França nesta Copa.

James Rodriguez é a surpresa da Copa. Ele é tão bom e vem jogando tão bem que a Colômbia mal sentiu a falta de Falcao Garcia (imagina como esse time estaria jogando! talvez fosse um dos favoritos ao título caso Garcia tivesse condições de jogo). Rodriguez é o melhor meio campista da primeira fase da Copa, muito decisivo, distribui o jogo, decide com gols, dá show. A Colômbia apresentou um dos melhores times da primeira fase e o meio campo é o principal setor da equipe.

Menção Desonrosa: Paulinho (Brasil)

Essa é a menção desonrosa que mais me dói o coração. Como corintiano eu venero Paulinho. Ele foi o melhor jogador da melhor fase recente do Timão (aposto que o Zé, também corintiano, tem o mesmo sentimento). Todo mundo sabe que o Paulinho é um grande jogador, pindarolas, ele foi o melhor jogador da última Copa das Confederações! O time é outro quando ele joga no seu máximo. mas ele está jogando muito, muito, MUITO MAL. Parece um zumbi de Romero no meio campo, não corre, não marca, não passa, não chega a frente... tenho sérias dúvidas se ele não foi picado por uma mosca tsé-tsé.

Ataque: Robben (Holanda), Neymar (Brasil) e Tomas Muller (Alemanha)

Vamos colocar as dúvidas de lado, Robben é o craque da Copa até aqui. Ahhh, mas ele só dribla pro mesmo lado. Isso foi um problema, algum dia, hoje não é mais. Ele só dribla pra esquerda, mas ninguém pega. Lembra o Garrincha, GUARDADAS AS DEVIDAS PROPORÇÕES PELO AMOR DE TUDO QUE É SAGRADO. O cara detonou a Espanha e foi muito constante durante as 3 partidas. A Holanda é a segunda seleção com menos posse de bola na Copa toda, ou seja, joga no contra-ataque. Robben é a descrição do atacante perfeito para esse esquema de jogo. Monstro!

Não gosto de Neymar. Ele faz a ação de gostar dele, muito difícil pra qualquer um que não seja santista ou tenha menos de 16 anos. Sempre se jogou, cavou faltas, catimbou, reclamou e foi protegidinho dos juízes no Brasil. Não gosto MESMO de Neymar... ou melhor, não gostava. Calei minha boca totalmente nesta Copa. Ele lidou com a pressão de ter 22 anos, de ser o grande astro do Brasil, de jogar em casa, de participar de um time totalmente previsível e pouco talentoso, como um verdadeiro craque. Ele riu na cara da pressão, e isso me faz respeitá-lo imensamente. Decisivo, um dos artilheiros da Copa, o cara finalmente amadureceu de verdade como jogador.

Muller tem 24 anos, está na sua segunda Copa do Mundo, tem 9 jogos em Copas e 9 gols. Isso não é incrível, isso é assustador. Ele é um tipo bem específico de jogador, o tipo de jogador que brilha em Copas do mundo, o cara que gosta da pressão, gosta do jogo grande. Ele até jogou bem nesses 4 anos entre a África do Sul e o Brasil, mas nada que lembrasse a revelação e o artilheiro da Copa de 2010. Foi só pisar em campo contra Portugal e o espírito do Fritz Walter baixou nele. Ele é um daqueles jogadores que ri da cara da Copa do Mundo, um Obdúlio Varela da vida. Desculpem, realmente gosto do Muller!

Menção Desonrosa: Fred (Brasil)

O tanto que o Brasil está jogando mal é mais uma prova da ótima Copa do Neymar. Fred é o pior de todos. Ele fez um gol em Camarões, mas quem não fez? Pior time da Copa. E a bola praticamente bateu nele e entrou... bom, uma imagem descreve melhor o que é o Fred:


Pra uma seleção que já teve Romário, Careca, Ronaldo, Vavá, Jairzinho... ir em duas Copas seguidas, uma com Luis Fabiano e outra com Fred é a prova de que algo muito errado está acontecendo em nossas categorias de base!


técnico: Jorge Luiz Pinto (Costa Rica)

A Costa Rica é surpreendente, já disse isso, e acho que os méritos devem ficar em grande parte com este excelente treinador colombiano! Essa seleção já é uma página na história das Copas e uma das mais bonitas já escritas.

Menção Desonrosa: Fabio Capello (Rússia)

Que Capello é defensivo em excesso, todo mundo já sabe. Mas esse time da Rússia é melhor do que parece. O grupo H é a vergonha da Copa do Mundo, muiiiiiiito fraco, era obrigação de Capello levar os russos para as oitavas. Na minha opinião o time foi montado errado e a culpa toda pode ir nas costas do técnico.

_________________________________________

Prometo que logo voltamos a programação normal do blog, mas a Copa domina todas as atenções, inclusive as nossas, então não vamos nadar contra a maré.



3 comentários:

Vinício dos Santos disse...

senti falta do Luis Gustavo na lista de vocês. Acho que ele tá carregando um piano brabo na seleção!

Zé disse...

Tá jogando bem mesmo... Mas a concorrência ali no meio tá difícil.

Arthur Malaspina disse...

Ia colocar ele, mas acabei tirando porque escolhi colocar só 3 caras no meio de campo.